quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

A herança... a herança

Foi em Setúbal, depois de jantar, na Assembleia Distrital do PSD, que Pedro Passos Coelho quebrou a regra que tinha imposto a si próprio: não falar do passado para justificar a acção do seu governo.

A quem o acusa de ir além da Troika, nos sacrifícios pedidos aos portugueses, Passos Coelho responde: a culpa é da herança socialista.
Ouvir reportagem

Antes, a meio da tarde em Lisboa na sede da São Caetano, o recandidato a Presidente do PSD entregava o dobro das assinaturas necessárias e a moção ao Congresso. Reportagem Natália Carvalho

Não vamos "pedir mais sacrifícios aos portugueses"

Depois de Jorge Jesus, treinador do Benfica, ter feito, há atrasado, algumas declarações de cariz político, agora é a vez o treinador da selecção nacional. Aqui.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Passos Coelho sucederá a Passos Coelho

É já esta tarde que o PM, presidente do PSD e recandidato à presidência, entrega as assinaturas para as Directas de 3 de Março e deposita a moção ao Congresso no final do mês que vem.

Mandatários? Todos os presidentes das estruturas do partido e até Alberto João Jardim se estreia nesta função, como conta Natália Carvalho aqui.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Outra vez o pastel de nata...agora com o chouriço

Reportagem de Natália Carvalho na edição deste ano do SISAB: um acontecimento

" Um certo regresso à normalidade europeia", diz o PSD

Dia e meio a ouvir partidos e parceiros sociais, assim vai estar Pedro Passos Coelho a preparar-se para o Conselho europeu em Bruxelas, nesta 5ªfeira.Antes entrega a moção ao Congresso amanhã e na 4ª feira almoça com Mário Monti, o PM italiano, em Roma.

Para já, PSD - Moreira da Silva, Matos Rosa e Braga de Macedo -  e PS - António José Seguro, Carlos Zorrinho e Maria de Belém - foram a São Bento dizer as suas razões, com o PSD a dizer que a Europa está a caminho da normalidade e o PS a pedir mais tempo. Peça aqui.

Depois da chuva... as terras abandonadas

A CNA (Confederação Nacional da Agricultura) avisa a Ministra da Agricultura, Assunção Cristas, para ter cuidado ao expropriar terras porque pode ser "um ninho de vespas", diz João Diniz.

Por seu lado, a CAP (Confederação dos Agricultores Portugueses) considera que não há terras sem dono, diz João Machado.

Enquanto não chove, Cristas espera pelo relatório da seca para o final desta semana, como ouviu o jornalista Paulo Nobre.

Os elogios de Paulo Rangel...

...foram muito notados no Conselho Nacional do PSD, este fim de semana em Lisboa, por Madalena Salema.

O novo programa do PSD foi votado depois de se ter feito tábua rasa das ideias apresentadas por José Pedro Aguiar Branco que, durante um ano, recolheu contributos vários para o programa do sociais democratas. O ministro da Defesa, que também foi candidato à liderança do PSD contra Paulo Rangel e Pedro Passos Coelho, não foi ao Conselho Nacional, Madalena Salema.

Olha-se para Belém e o Presidente não está lá

Luís Fazenda, lider parlamentar do BE, (a entrevista pode ser ouvida e vista aqui) diz que numa altura destas, com o impacto brutal do programa da Troika, os portugueses olham para Belém e não vêem lá o Presidente.
Os deputados do BE e alguns do PS enviaram o OE para o TC. Fazenda considera, nesta entrevista à Antena1, que se o Orçamento for declarado inconstitucional, será traumático para a Troika.

Luís Fazenda não acredita que haja uma flexibilização de Bruxelas dos défices acordados, como aconteceu em Espanha.
E faz um reajuste no discurso, fala em renegociar o memorando, nos prazos, tempos e taxas de juro.

Diz que o novo partido, a Ruptura-FER de Gil Garcia (que representava 15% do Bloco na última Convenção), não vai fazer o BE perder votos. O futuro vai dizer isso "era uma percentagem ínfima"

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

As palavras proibidas do Presidente

Negociação... não! é melhor arranjar outra palavra, recomenda Cavaco Silva, ao mesmo tempo que se surpreendeu com o aumento do desemprego, em pleno roteiro da Juventude, em Santa Maria da Feira.
E, mais uma vez, contraria o discurso do Governo, espera que os jovens portugueses não emigrem.

As contas do Presidente que, como ouvimos não previram o aumento do desemprego, dizem que não vai haver necessidade de um segundo empréstimo a Portugal.

A declaração insólita de Isabel Moreira

Em período de votações regimentais, a deputada independente da bancada socialista pediu a palavra para anunciar uma Declaração de Voto.

O vice presidente António Filipe, que dirigia os trabalhos, deu-lhe a palavra, mas Isabel Moreira começou por dizer que estava drogada.

O gabinete de imprensa do PS explicou mais tarde que Isabel Moreira foi submetida a uma pequena cirurgia, ontem, e que estaria ainda sob o efeito de analgésicos.

Maioria contra as petições das freguesias

Foram três as petições que esta manhã o plenário da AR discutiu.
O que defendiam as petições - defendidas por 45 mil pessoas - por Susana Barros.

Os argumentos dos partidos em plenário, esta manhã, por Célia de Sousa.

Já ontem, o PSD pela voz do vice-presidente da bancada Carlos Abreu Amorim, se mostrou aberto a aletar a proposta de Miguel Relvas e do Governo na discussão na especialidade. Isto depois de uma reunião com a ANAFRE, aqui contada por Susana Barros.

Apesar dos votos a favor de quase todas as bancadas...

... chumbou a adopção de crianças por casais homossexuais.

Com liberdade de voto no PS - como há sempre desde que Seguro é líder - mas também nas bancadas do PSD e do CDS, comunistas e centristas de acordo nesta matéria. "Ainda é uma questão experimental", disse Telmo Correia CDS, citando o PCP.

Reportagem de Madalena Salema.

Cavaco e Seguro: Cada um tem o roteiro que merece

Cavaco, o PR, resolveu ir a norte para mais um roteiro da Juventude, depois de ter deixado os jovens da António Arroio em Lisboa, fora da sua rota.
Agora, como conta a jornalista Natália Carvalho, Cavaco até vai ver... um carro a levitar.

António José Seguro, lider socialista, vai pelo interior adentro - Bragança, Vila Real, Viseu, Guarda, Portalegre, Évora e Beja - para terminar em Castelo Branco, numa Conferência nacional a 3 de Março.
No mesmo dia em que Pedro Passos Coelho será reeleito nas Directas do PSD, como conta a jornalista Susana Barros.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Uma Ministra de fé


Os deputados da Comissão Parlamentar de Agricultura quiseram saber o que está a fazer o Governo em relação ao impacto da falta de chuva no sector agrícola.
Na resposta, a Ministra Assunção Cristas manifestou a sua fé em que chova nas próximas semanas:
«Devo dizer que sou uma pessoa de fé, esperarei sempre que chova e esperarei sempre que a chuva nos minimize alguns destes danos. Como é evidente, quanto mais depressa vier, mais minimiza, quanto mais tarde, menos minimiza. Se não vier de todo, não perderei a minha fé mas teremos obviamente de actuar em conformidade», acrescentou a ministra do Ambiente, do Mar, da Agricultura e do Ordenamento do Território.

Ao reproduzirem a declaração da Ministra, nos corredores do parlamento, alguns deputados questionam-se se Cristas se vai ficar só por uma oração a São Pedro ou irá mesmo fazer a dança da chuva...

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

PS-Troika: "Pontos de vista bem divergentes", diz Seguro

Foto Lusa
A reunião estava marcada para o meio-dia mas Rasmus Rueffer (BCE) e Jurgen Kroeger (CE) chegaram 15 minutos antes. "Pouco trânsito", terão confidenciado à entrada onde foram recebidos por Miguel Ginestal, o chefe de gabinete de António José Seguro.

Só depois chegou Carlos Zorrinho, o líder parlamentar do PS (a delegação socialista incluiu tambem Eurico Dias e Óscar Gaspar), e, minutos mais tarde, os três homens do FMI - Samiel Hossein, Abe Selassi e Albert Jaeger (Paul Thomson não está cá).

Ao contrário do que aconteceu no final da primeira reunião, em Novembro, desta vez foi António José Seguro que fez declarações aos jornalistas. Mas, tal como em Novembro, a Troika não se mostrou recetiva ao prolongamento por mais um ano da consolidação das contas públicas, como defende o Secretário-Geral do PS.

"Eu não revelo o que se passa nestas reuniões mas não lhe escondo que houve pontos de vista bem divergentes entre o PS e a Troika no que diz respeito ao processo de consolidação das contas publicas e particularmente quanto à prioridade. Nós consideramos que doses excessivas de austeridade não resolvem os nossos problemas e consideramos que é importante que se dê relevo ao crescimento económico e ao emprego", afirmou Seguro. Peça

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Mais uma vez: PM vaiado

Desta vez em Gouveia como se pode perceber pela reportagem da correspondente da Antena1 Fátima Pinto aqui a "vaia monumental" que Pedro Passos Coelho ouviu na Feira do Queijo da Serra. Protestos e até insultos de elementos da comissão de utentes contra as portagens, da CT da Peujeot-Citroen em Mangualde.

O PM diz estar preparado para estas situações, coisa que não aconteceu com a Polícia que não estava à espera.

Passos Coelho também falou do aumento do desemprego garantindo que o Governo apoiará as pessoas desempregadas.

Freguesias e concelhos: começa oficialmente o 'namoro' PSD/PS

A iniciativa partiu do líder parlamentar do PSD, que ainda não conseguiu ter o apoio do CDS (nem mesmo do seu partido, diga-se) para a reforma administrativa.

Em carta enviada a Carlos Zorrinho, que a Antena1 teve acesso, Luís Montenegro explica porque se quer reunir com o seu homólogo socialista. Uma movimentação que acontece depois de o Ministro Miguel Relvas se reunir com os grupos parlamentares da maioria.

Notícia de Natália Carvalho.

Pelo PS, António José Seguro veio dizer este fim-de-semana, em reunião com os socialistas de Lisboa, que "António Costa não precisou da Troika" para racionalizar os serviços em Lisboa. Para o PS esta reforma é "má". Por Natália Carvalho.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Reportagem: Rangers para a vida

À margem da política, a última reportagem da trilogia Ranger. Ouvir reportagem

Presidente mantém os jornalistas à distância


Que os jornalistas iriam estar condicionados nas movimentações da sala de conferências já se sabia. No Briefing preparatório, realizado no início da semana, a comunicação social foi avisada que, devido a limitações de espaço e som, não iriam ser permitidos directos a partir da sala e, por isso mesmo, iria ser disponibilizado um espaço ao lado com acesso áudio e vídeo de onde os jornalistas poderiam seguir os trabalhos da conferência.
O espaço acabou por ser multiplicado em vários. As televisões ficaram com “o quarto da dona Amélia”, mesmo ao lado da sala de conferências e até com acesso visual através de uma porta envidraçada.
As rádios foram remetidas para uma outra sala, no andar de baixo, bem mais longe. A imprensa escrita, essa, optou, no início, por ficar na própria sala onde decorria a conferência. Mais tarde, com tantas limitações nas entradas e saídas, os jornalistas da imprensa escrita acabaram também por seguir os trabalhos na companhia das rádios.
O acesso condicionado para o qual os jornalistas tinham sido alertados transformou-se em mobilidade condicionada. Todos os movimentos foram controlados pelos agentes de segurança.
Andar de um espaço para o outro, subir ou descer as escadas, entrar ou sair da sala, só na companhia da segurança, fosse para atender um telefonema ou para uma ida à casa de banho. Passos condicionados. Limitação imposta apenas aos jornalistas, já que para os restantes convidados da plateia não havia restrições.

Até nas pausas para o café, os jornalistas estiveram impedidos de atravessar o salão e circular para além dos espaços que lhes estavam reservados. Chegar ou passar perto do Presidente, tornou-se, assim, impossível.
E se à entrada, pela manhã, virou a cara às câmaras de televisão, à noitinha, 10 horas depois, no final da conferência da natalidade, o Presidente adoptou um ar mais distendido à saída da Cidadela de Cascais, mas também não respondeu a perguntas.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

"O que a economia mais teve foi crédito e liquidez", diz o PM

Em mais um debate quinzenal no parlamento.
António José Seguro PS, considerou este um debate histórico "os empresários ouviram o PM a dizer que não há um problema de crédito na economia, eu desminto-o, sr. PM: a sua política falhou!".
O lider socialista confrontou ainda o PM, com os dados do último trimestre de 2011, 14%. No entanto a média prevista para o ano está nos 12,7, disse o PM.

Jerónimo de Sousa PCP, lembrou a manifestação de sábado passado para dzer que havia uma novidade "é que a base de contestação ao governo se alargou" e que "o PS está desaparecido em combate".

Com Francisco Louçã BE, ficou a saber-se que as contas do BPN vão entrar no OE 2011, reprivatização que ainda está a ser avaliada por Bruxelas e pode ser alterada.

Reportagem de Madalena Salema.

Afinal foi Soares que convenceu Sócrates

Foi ontem à noite, na Figueira da Foz, em mais uma apresentação do livro "Um político assume-se", feita pela jornalista Cândida Pinto, que Mário Soares contou como foi difícil convencer o antigo PM a pedir ajuda internacional.

É dia de debate quinzenal com Passos Coelho

A Presidência da República organiza a Conferência: “Nascer em Portugal”, dedicada ao declínio da fecundidade em Portugal.
Esta conferência reúne, durante todo o dia, no Palácio da Cidadela, em Cascais, especialistas portugueses e estrangeiros. António Barreto, Maria João Valente Rosa Manuel Villaverde Cabral são alguns dos especialistas confirmados.
09:30 - Sessão de Abertura da Conferência, com intervenção do Presidente da República
09:45 - Painel "Fecundidade e desenvolvimento económico nos países da OCDE"
11:00 - Painel "Fecundidade e instituições na Europa"
12:00 - Painel "Fecundidade e contextos sociais: o caso dos países nórdicos"
14:30 - Painel "Nascer em Portugal"
16:30- Painel "Fecundidade e Natalidade: problemas e políticas sociais e de saúde"
18:45 - Sessão de Encerramento da Conferência, durante a qual o Presidente da República agracia o Senador Massimo Livi Bacci com o grau de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique

Alcoutim, o Concelho mais envelhecido do País:
7h25 - Carlos Brito, entrevistado na Antena 1 pelo jornalista Mário Antunes



10h00 - Debate Quinzenal com a presença do Primeiro-ministro na Assembleia da República.
As reformas na administração central e no sector empresarial do Estado são o tema escolhido





10h30 - O Governo, através do Secretário de Estado da Administração Pública reúne com os sindicatos da função pública para debater a avaliação de desempenho, a revisão das carreiras, a mobilidade geográfica e as alterações ao contrato de trabalho em funções públicas. Outra das questões a discutir é a redução dos feriados nacionais.

11h00 – Reunião do Grupo de Trabalho de Concertação Social. Em discussão estão os temas da mobilidade e o contrato de trabalho em funções públicas

11h00 – O INE divulga a Síntese Económica de Conjuntura Janeiro de 2012; Índices de Preços na Produção Industrial Janeiro 2012.

21h30 – Apresentação, no Porto, do livro "GENEPSD-Contributos para uma Social
Democracia Portuguesa", com a presença de Marques Mendes e do Ministro da Defesa,
Aguiar Branco.

21h30 – O PS/ Braga promove uma Conferência "Braga e a
Europa", com a participação de António Braga e Francisco Assis.


Lá fora:
Em Paris, Cimeira franco britânica

O Presidente francês, Nicolas Sarkozy, recebe o Chefe do Governo britânico, David Cameron, numa cimeira em que será debatida a cooperação militar e energética entre os dois países.
11:00 (10:00 em Lisboa) - Início do encontro, seguido de conferência de imprensa, no Palácio do Eliseu.



11h00 – Em Roma, o Primeiro-ministro italiano Mario Monti recebe chanceler alemã, Angela Merkel para falar da crise em Itália, mas sobretudo da situação da Grécia.










Em Bruxelas, reúne Conselho de Ministros do Emprego e Assuntos Sociais

Em Frankfurt, o BCE divulga estatísticas
- Balança de pagamentos mensal da zona Euro (Dezembro de 2011)
- Estatísticas dos fundos de investimento da zona Euro (Dezembro de 2011 / quarto trimestre de 2011).


Em Joanesburgo, Marcha pela mini-saia:
Luta pela emancipação feminina na África do Sul. Marcha pelo direito das mulheres a vestirem o que quiserem, incluindo mini-saias, organizada pela Liga Feminina do Congresso Nacional
Africano (ANC, no poder), com a adesão da central sindical sul-africana COSATU. Em protesto contra uma série de agressões verbais e físicas de que foram vítimas mulheres em Joanesburgo e noutras cidades sul-africanas por parte dos homens que consideram provocatória a forma como se vestem.

Cavaco preocupado com a falta de bébés em Portugal

O Presidente da República promove durante todo o dia uma conferência sobre "Nascer em Portugal".


Somos cada vez menos e cada vez mais velhos. Numa altura em que o país regista mais mortos do que o número de nascimentos, o Presidente da Republica quer saber o que os portugueses querem fazer deste território à beira mar plantado.



Vários especialistas nacionais e europeus vão analisar o declínio da taxa da natalidade em Portugal que pode pôr em causa políticas estratégicas como a segurança social. Peça

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Onde está o Presidente?

Teve um impedimento, diz fonte do Gabinete do Presidente.

A reportagem de Natália Carvalho "A partir daqui não entram", na escola secundária António Arroio, em Lisboa, onde os alunos se preparavam para protestar pela falta do refeitório na escola e pelo aumento dos passes sociais.

Muitos e ruidosos, mantiveram os gritos e slogans apesar do Presidente ter cancelado a visita.






Mais transparência nas contas públicas

A Presidente da Assembleia da Repúbica, Assunção Esteves, deu posse ao conselho superior do Conselho de Finanças Públicas.

Teodora Cardoso é a presidente e anuncia como prioridade, mais transparência das contas públicas.
Ouvir reportagem

Arménio Carlos à A1: "Comunista ortodoxo eu? Ninguém me pediu para deixar o Comité Central porque me conhecem!"

Arménio Carlos (a entrevista toda aqui) desafia deputados da maioria e do PS a pensarem o Acordo de Concertação Social: "fosse aplicado a mim?" Se assim for ele chumba na AR.
O novo líder da CGTP afirma "não queremos ser os donos dos trabalhadores", quando questionado sobre a Greve Geral que diz estar em cima da mesa. A iniciativa parte dos trabalhadores.

Garante que não vai abdicar do aumento do Salário Minimo Nacional: está aberto a negociar o valor que tem de ser mais do que 500 euros (previsto para 2011) e que o PR tem de se meter neste assunto.
Cavaco que andou muito mal neste Acordo de Concertação.

Quanto ao processo crime contra João Proença espera ainda por tempo oportuno, "a Central não delega negociações em ninguém".
Arménio Carlos diz que há uma ideia errada dos comunistas que são "do tempo da pedra lascada" e que garante que ninguém na CGTP lhe pediu para sair do CC.

Denuncia uma violência fisica, psicológica e financeira nos locais de trabalho.
Diz que a manifestação de 11 de Fevereiro provou três coisas: que as pessoas têm necessidade de se manifestar, que é preciso alterar políticas e que há esperança.

Em dia de debate da nova Lei das Rendas

8h30 - Reunião do Conselho de Ministros. Está prevista a aprovação da resolução dos salários dos gestores hospitalares fora dos limites do Estatuto do Gestor Público.
10h10 - Arménio Carlos, Secretário-Geral da CGTP é entrevistado na Antena 1 pela jornalista Maria Flor Pedroso. Depois da enchente no Terreiro do Paço, os desafios do novo líder da CGTP. À 5ªf porque amanhã há debate quinzenal na AR.

10h30 – O Presidente da República visita a Escola António Arroio, em Lisboa. A Secretária de Estado do Ensino Básico e Secundário, Isabel Leite, e o Secretário de Estado do Ensino e da Administração Escolar, João Casanova de Almeida, também vão estar presentes.
No Parlamento:
10h30 – Reunião do Grupo Parlamentar do PS
12h00 - Tomada de Posse do Conselho Superior do Conselho de Finanças Públicas 
Os membros do conselho superior do Conselho de Finanças Públicas que tomam posse são:
 Maria Teodora Osório Pereira Cardoso, presidente;
 Jürgen von Hagen, vice-presidente;
 Rui Nuno Garcia de Pina Neves Baleira, vogal executivo;
 George Kopits, vogal não executivo;
 Carlos José Fonseca Marinheiro, vogal não executivo

15h00 – Plenário da Assembleia da República: em debate a Lei do Arrendamento
O Governo pretende agilizar os despejos e prevê uma alternativa extra-judicial com o novo Balcão Nacional de Arrendamento e que os contratos terminem após dois meses de não pagamento ou atraso de renda. Após comunicação ao inquilino, este pode, no mês seguinte e "por uma única vez", liquidar o valor em falta.

-Proposta de Lei (GOV) - Procede à alteração ao Decreto-Lei de 23 de outubro, que estabelece o regime jurídico da reabilitação urbana, e ao Código Civil.
-Proposta de Lei (GOV) - Procede à revisão do regime jurídico do arrendamento urbano, alterando o Código Civil, o Código de Processo Civil e a Lei de 27 de fevereiro.
-Proposta de Lei (GOV) - Sobre a mesma temática.
-Projeto de Lei (PS) - Aprova medidas para incentivar o crescimento económico nas áreas da reabilitação urbana e do mercado de arrendamento.
17h30- Conferência de Imprensa  da  CGTP, para apresentação das conclusões do Conselho Nacional. O Conselho Nacional da CGTP-IN, eleito no XII Congresso, reúne para apreciação, entre outras matérias, do "acordo" sobre legislação laboral e análise da consequente resposta sindical, assim como as lutas já agendadas:
" Jornada de Luta Europeia - 29 de Fevereiro;
" Dia Internacional da Mulher - 8 de Março;
" Dia Nacional da Juventude:
28 de Março: contacto com os jovens trabalhadores em locais de trabalho dos sectores privado e público;
31 de Março - Manifestação Nacional, em Lisboa.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

AR de portas abertas no Carnaval

PSD, CDS e PS ("um larguíssimo consenso que ultrapassou a maioria clássica", segundo Assunção Esteves) concordaram e na terça-feira de Carnaval não haverá tolerância de ponto na Assembleia da Republica.

Peça

O dia de terça-feira  é normalmente preenchido com reuniões das comissões.
As bancadas do PSD e CDS já tinham anunciado para esse dia uma reunião conjunta sobre Justiça.


Não vem o PM mas vem o Ministro da Defesa...

Falhada a audição potestativa do Primeiro-Ministro na 1ª Comissão, o PCP voltou ontem a utilizar o artigo 104.º do Regimento para obrigar José Pedro Aguiar Branco a ir à Comissão Parlamentar de Defesa.

António Filipe começou por apresentar um requerimento para ouvir o Ministro da Defesa sobre a instabilidade nas Forças Armadas. Mal foi chumbado pela maioria, o deputado comunista pediu a palavra para anunciar um pedido potestativo para a ida do Ministro. Peça

Este "membro do Governo" terá assim mesmo de ir à Comissão de Defesa.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Relvas repete em espanhol discurso do Governo

Para acabar de vez com as especulações: nem mais dinheiro, nem mais tempo, nem flexibilização do programa, diz o Ministro adjunto e dos Assuntos parlamentares ao jornal de centro direita espanhol ABC.

Uma entrevista na véspera da Troika chegar, depois da conversa do Ministro alemão das Finanças com Vítor Gaspar, que o Ministro achou uma óptima notícia para Portugal, Relvas recoloca o discurso do governo no lugar.

Uma entrevista tratada por Madalena Salema.

Prejuízos dos bancos são "gigantesca operação ideológica"

A denúncia é feita pelo PCP em conferência de imprensa:
As imparidades que os bancos andaram a esconder há vários anos, aparecem nas contas de 2011, apenas para justificar o recurso aos dinheiros públicos para racapitalização.

No caso da Caixa Geral de Depósitos, o problema é mais grave, sublinham os comunistas. É preciso apurar a dimensão da intervenção do banco público no caso BPN através de uma nova comissão parlamentar de inquérito.
Ouvir reportagem

Nova CPI BPN: parte 2 quer o BE, PS ok

Já houve uma Comissão parlamentar de inquérito ao BPN, presidida pela socialista Maria de Belém. Reuniões que chegaram a demorar 10 horas.

O Bloco entende que há dados novos, por causa da gestão da Caixa Geral de Depósitos no BPN.
É necessário outra para saber como foi gasto o dinheiro, como diz João Semedo.

O PS, pela voz do líder parlamentar Carlos Zorrinho, concorda.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Rúben Correia: "o meu maior sonho é ser PM de Portugal e continuar a escrever"

Esta é uma história que o Sem Embargo 'rouba' ao Díário dos Açores e foi publicada hoje no mais antigo jornal do arquipélago.
Uma entrevista de Sílvia Aguiar ao mais jovem escritor português que publica agora o seu segundo livro.
Rúben Correia, estará no parlamento em Março na iniciativa Parlamento dos Jovens.
Não o podemos perder de vista.

Tem apenas 14 anos, sonha vir a ser 1º Ministro de Portugal e já uma forte promessa na literatura açoriana. Rúben Correia, natural e residente da Vila de Rabo de Peixe, lança no final deste mês o seu segundo livro. Uma história que apela à não poluição e que promete cativar muitos leitores…
Em conversa com o mais jovem escritor português, Rúben Correia conta-nos o seu percurso até hoje e as suas ambições para o futuro.
Rúben,  conta-nos a tua história…
Rúben Correia: Sou um jovem de 14 anos e natural da Vila de Rabo de Peixe (vila onde ainda resido). Frequento o 9º ano de escolaridade e as minhas duas disciplinas preferidas são Português e História. Adoro ler, escrever e tocar instrumentos (violão, viola da terra, acordeão). Aos 10 anos de idade achei que deveria ser escritor e comecei a escrever histórias para  contar a mim próprio e mostrei à minha professora de Português da altura,  a professora  Anabela Ribeiro. A mesma adorou e aconselhou-me a seguir em frente. O gosto da leitura e da escrita continuou até hoje. Em 2011 mando o meu primeiro livro “Kamele e a lâmpada árabe” para uma editora lisboeta. É aceite e meses depois encontro-me em Lisboa para ir lançar o livro, no dia 9 de Julho, na Quinta Pedagógica dos Olivais. No dia 10 de Julho o livro foi apresentado na Ericeira e, mais tarde, em Setembro, no dia 28, foi apresentado na minha escola, Escola Rui Galvão de Carvalho, e, por fim, apresentado na Casa dos Açores do Ontário, no dia 4 de Novembro... além destas apresentações, já apresentei o livro em mais escolas da ilha. Fui convidado a participar na Antologia de Poesia, Poetar Contemporâneo I, com a mesma editora. Aceitei o convite e tornei-me um dos autores da obra. Mais tarde, recebi o convite de uma outra editora, Chiado Editora, para participar em outra Antologia de Poesia, Entre o Sono e o Sonho, e tornei-me, também, um dos vários autores da obra. Agora encontro-me com outro livro escrito e editado, pela  Lua de Marfim Editora, e já com lançamento marcado... daí a minha vida estudantil continua... Além da escrita, da leitura, da escola e da música, sou um apaixonado pela política, e vou ser Deputado ao Parlamento dos Jovens, nos dias 12 e 13 de Março, na Assembleia Regional dos Açores, a representar a minha escola.
Quando começaste a sentir essa vontade em escrever?
R.C.: Comecei a sentir vontade de escrever desde que aprendi a escrever. Fui o primeiro aluno da minha turma do 1º ano a aprender a ler e a escrever, disse minha professora Dalila Ferro, porque já não me lembrava desse pormenor. Mas o meu interesse pela escrita instalou-se definitivamente em mim aos 10 anos de idade.
Tens por hábito ler? O que lês e com que frequência?
R.C.: Sim, tenho hábitos de leitura. Gosto muito de ler livros Infanto-Juvenis, Poesia, Romance, Ficção... Gosto de ler quase tudo...
No final deste mês, a 24 de Fevereiro, lanças, no Teatro Micaelense, o teu segundo livro: “O Planeta Fogo”. Para os mais curiosos, podes avançar um pouco sobre a história?
R.C.: O livro que vou lançar é, em parte, um apelo à não poluição. De tanto os habitantes do planeta terra poluírem o Sol irá explodir e o nosso planeta se transformará em lume/fogo ( daí o título de “O Planeta Fogo” )... e daí nascerá a história... haverá vida depois dessa catástrofe? Como serão as pessoas? Haverão outros planetas a redor só descobertos após essa catástrofe? E é isso... Aconselho a todos participarem neste lançamento. Será uma noite agradável.
Qual foi a história que mais gostaste de escrever? Qual foi a personagem que criaste que mais prazer te deu construir?
R.C.: É por hábito muitos escritores não gostarem dos seus textos. Eu gosto, de alguns, e o que mais gostei de escrever e ler foi, sem dúvida, “O Planeta Fogo”.
Revês-te em alguma personagem?
R.C: Não…
Onde vais buscar as ideias para criar as tuas histórias?
R.C.: Sinceramente, não sei... depende do dia... há dias que tenho ideias que posso adiantar meio livro, há dias que nem uma palavra...
Tens algum autor e/ou livro preferido?
R.C.: Tenho um autor preferido, que gosto mesmo muito, muito e muito. Seu nome é José Saramago.
Usas algum método para escrever os teus livros?
R.C.: Não.
Onde gostas mais de escrever?
R.C.: Gosto mais de escrever em casa.
Como é que descreves o teu dia-a-dia?
R.C.: O meu dia-a-dia é simples. Vou de casa para a escola, da escola para casa, ler, escrever, tocar, nas folgas dos meus pais passear. É dentro disso...
Que conselho darias a alguém que deseje vir a ser escritor?
R.C.: Diria: lê tudo o que puderes. Olha sempre com mais atenção ao primeiro parágrafo e ao último. Não fiques desanimado com alguma rejeição, porque acontece aos melhores. Escreve o que gostas de ler, se não... se não irás gostar de ler o que é teu, quem irá gostar? E, principalmente, não sigas conselhos de ninguém... segue o teu coração e os teus sonhos...
Qual é o teu maior sonho?
R.C.: O meu maior sonho, agora revelando publicamente, é ser 1º Ministro de Portugal, de continuar a escrever e a ter sucesso e melhorar o país.

Seguro e "a política de afectos"

Com Torres Vedras já preparada para o Carnaval, foi lá que António José Seguro passou boa parte de sábado. Primeiro, a fechar um debate do PS sobre as Novas Oportunidades onde desafiou o Governo a não acabar com o Programa - "Podem até mudar o nome ! ". Depois num jantar com militantes socialistas, no Vimeiro.


O restaurante no Vimeiro ainda decorado para o reveillon

 
No jantar, o Secretário-Geral do PS insistiu na necessidade de prolongar o período de consolidação das contas públicas -agora, dizendo que a conversa em Bruxelas entre Vitor Gaspar e o ministro alemão das finanças lhe dá razão - e voltou a criticar a "paixão do governo pela austeridade". Peça

Seguro prefere a "política dos afectos", prometida nas directas...

O actual líder socialista continua a ser (quase) o último a abandonar a sala, depois de distribuir cumprimentos e conversas pelos militantes. No Vimeiro discursou, jantou, pôs um militante a cantar o fado, distribuiu diplomas... 

Seguro a entregar a um militante o diploma de 25 anos de filiação no PS

...e tirou fotografias.



sábado, 11 de fevereiro de 2012

Receita finlandesa... para a crise

Sauli Niinisto é o presidente eleito da Finlândia, toma posse em Março, mas nos anos 90, quando o país estava megulhado numa grave crise económica e financeira, era ele o Ministro das Finanças.

Niinisto levou a cabo um apertado programa de austeridade, que permitiu que 20 anos depois a economia finlandesa seja apresentada como um caso de sucesso.

O antigo ministro admite que esta é uma crise diferente, da que teve que enfrentar há duas décadas, mas explica como foi possível alcançar bons resultados em pouco tempo.
Ouvir reportagem

PR alemão: "Ainda é cedo para falar em flexibilização"

Na conferência de imprensa final do Grupo de Arraiolos, o presidente alemão Christian Wullf avisou que ainda é cedo para falar em flexibilizar os programas de ajustamento dos países em dificuldades, entre os quais Portugal.

Primeiro, é preciso cumprir o acordado para ganhar a credibilidade dos mercados, diz o chefe de Estado alemão, acrescentando que os países, individualmente, não podem querer alterar o que foi acordado.

Cavaco Silva explica que Portugal "está a fazer o trabalho de casa". Espera que a cimeira europeia de Março aprove medidas para o fomentar o crescimento económico e a criação de emprego.
Ouvir reportagem

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

PR informa

O Presidente da Republica não quis comentar a conversa captada pela câmara da TVI em Bruxelas, entre os ministros da finanças português e alemão, mas acabou por dar umas achegas sobre o programa de ajustamento económico em Portugal.

Cavaco Silva disse que a Alemanha e os restantes parceiros europeus estão muito bem informados sobre as reformas que estão a ser levadas a cabo pelo Governo.

Declarações em Helsinquia onde decorre a reunião anual do Grupo de Arraiolos, que junta nove Chefes de Estado europeus, não executivos.
Ouvir reportagem 


Cavaco Silva na foto de família, e com a Presidente Finlandesa que cessa funções em Março.

Stress político

Em carta enviada ontem ao presidente da Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, Assunção Esteves justifica a decisão tomada horas antes em reunião da Mesa. A Presidente da AR entende que deve separar a função de Primeiro-Ministro de "membros do Governo" e que chamar o PM à Comissão poderia "induzir uma situação de stress do controlo político pelo Parlamento".



1. " É verdade que a Constituição e o Regimento incluem o Primeiro-Ministro no género "membros do Governo". Seria falsificar a interpretação dizer que o Primeiro Ministro não é uma espécie do género "membros do Governo". Mas também é verdade que sempre que o Regimento chama pelo protagonismo do Primeiro-Ministro designa-o como tal, como Primeiro-Ministro. Quer dizer, "Primeiro-Ministro" e "membros do Governo" conhecem, no sistema do Regimento, uma separação para efeitos procedimentais (cfr. debates quinzenais, art.224º, grelha do Anexo II e outros lugares paralelos, art.172º, 182º, 215º, 219º, 228º)"

4. "estender a presença do Primeiro-Ministro às comissões, somada aos debates quinzenais e outros, e atento ao seu papel complexo de condução da política geral do governo, induziria uma situação de stress do controlo político pelo Parlamento, dissolvendo a racionalidade que é exigida ao sistema de controlo político (cfr. qrtigo 2º da Constituição)."

Montenegro à A1: Lei de imprensa vai ser alterada

Luís Montenegro, 38 anos, advogado, lider parlamentar do PSD.
A entrevista para ouvir e ver aqui.
 
Considera que para se fundirem os serviços secretos (SIRP com SIED) é preciso acordo com o PS mas também com o CDS, que é contra, reconhece que agora não é o momento para o fazer por causa das polémicas criadas.

Nesta entrevista à Antena1, apesar da opinião da ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz ser a favor do registo de interesses para maçons, Montenegro, que aceitou a denominação de maçon, pensa não ser necessário. Não se é mais transparente por isso. E, mais uma vez, não se deve legislar em cima da polémica.

Abre a porta a, no tempo oportuno, mexer na Lei de Imprensa para registo de interesses dos jornalistas, retomando um tema discutido numa reunião da bancada parlamentar. Para já não está em cima da mesa, mas pode vir a estar.

Além da maioria querer o apoio do PS para a fusão/ reetruturação das secretas, Montenegro entende que os socialistas são necessários para a reforma administrativa e da justiça, por exemplo. No entanto, constata que a Direcção do PS está muito pressionada por "ressabiados do anterior governo"

Pela primeira vez um dirigente da maioria entende que os portugueses têm de ser recompensados pelos esforços que estão a fazer. Esta ideia surge na sequência do artigo de Mota Amaral no último Expresso - onde afirma que Portugal está triste e assustado e critica o corte das pensões aos reformados "a quem toda a vida descontou" -  Montenegro diz rever-se no artigo - que é arrasador para o Governo - mas não com as mesmas palavras.

Diz que na relação com o CDS só 1% não corre bem. No entanto, esse 1% dá trabalho.

Assume que se mostrou disponível para a liderança parlamentar.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Finlândia: A diferença está... na educação

Na visita à Finlândia a comitiva presidencial cruzou-se com investigadoras portuguesas.
Vieram de universidades portuguesesas porque tinham agora melhores condições para desenvolver o seu trabalho.
Cavaco Silva espera que Portugal possa atrair massa crítica e investidores, tendo em vista o desenvolvimento dos 'clusters' do mar e da nanotecnologia.

O mar gelado em Helsínquia. Temperaturas rondam os 17 graus negativos por estes dias.


"Forte esperança" do PR na 3ª. avaliação da Troika

Cavaco Silva tem "uma forte esperança" em que a terceira avaliação da Troika, que vai ser conhecida na próxima semana, será positiva.

O Presidente da República repetiu, mais uma vez, a sua convicção de que Portugal vai conseguir cumprir todos os compromissos a que se propôs.

Disse-o na visita à Nokia-Siemens, esperando que continue a investir em Portugal.
Ouvir reportagem



O passado recente dos telemóveis Nokia...


E o futuro... o novo telemóvel Lumia


Por falar em tradição...

Para manter a tradição dos últimos anos, o PCP propôs, esta tarde, a Assunção Esteves que conceda tolerância de ponto na Assembleia da República na terça-feira de Carnaval.
Justificação do deputado João Oliveira aqui.

"É da praxe parlamentar"

Depois da reunião da Mesa da Assembleia, Assunção Esteves anunciou que o Primeiro-Ministro não é obrigado a ir à 1ª comissão para ser ouvido sobre as Secretas.
Madalena Salema ouviu a extensa lista de argumentos apresentados pela Presidente da AR. Peça
Bernardino Soares anunciou logo depois que o PCP vai recorrer para Plenário.

Kit carnavalesco para deputados

O convite da organização do Carnaval de Torres Vedras aos deputados foi noticiado ontem pelo DN.
O Sem Embargo mostra-lhe agora o kit que chegou ao Parlamento.





Um pormenor: a máscara pode ser utilizada como tapete para o rato.

PSD e CDS escolhem a Justiça para a 3ªf de Carnaval

Os grupos parlamentares dos dois partidos da maioria têm uma reunião conjunta das duas bancadas agendada para a terça-feira de Carnaval. A reunião vai servir para debater com a Ministra Paula Teixeira da Cruz as reformas na Justiça.
PSD e CDS retomam assim a prática de reuniões conjuntas para ouvirem os membros do Governo, interrompida esta semana, pela primeira vez.
Ao contrário do que aconteceu noutros encontros de deputados com ministros, Miguel Relvas esteve reunido apenas com a bancada do PSD para um debate sobre a reforma Administrativa que prevê a redução do número de freguesias,  sem que o CDS tenha sido chamado para a reunião. “Não percebo onde está o problema. Foi tudo combinado com o Nuno Magalhães” – sublinhava o líder parlamentar do PSD, Luis Montenegro para desvalorizar a ausência do CDS.

O ministro Miguel Relvas também não atribui importância a este facto, sublinhando que da primeira vez que apresentou o documento encontrou-se com os dois partidos. "Foi assim que foi definido, não há obrigatoriedade de todas reuniões serem iguais. E há grande apoio e identificação do CDS, com esta proposta", afirmou Relvas no final da reunião de quase duas horas com os deputados do PSD. Ouvir peça

À espera da reunião da Mesa

Assunção Esteves marcou para esta quinta-feira ao meio-dia a reunião da Mesa da Assembleia que vai discutir o pedido potestativo do PCP para ouvir Pedro Passos Coelho na 1ª comissão sobre as secretas.
A Presidente da AR promete divulgar a sua posição logo depois dessa reunião. Ouvir aqui.

Em declarações à Antena 1, RR e Lusa, Assunção Esteves desdramatizou o caso recusando falar em imbróglio. Aqui.

A reunião da Mesa segue-se à longa discussão,quarta-feira de manhã,  na comissão parlamentar de assuntos constitucionais acompanhada pela jornalista Madalena Salema. Peça

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Ensino superior: Governo garante que desistências diminuiram



João Queiró, secretário de estado do ensino superior, garantiu esta manhã na comissão parlamentar de educação que, ao contrário do que tem sido noticiado, as desistências universitárias têm diminuido e não aumentado. Pode ouvir aqui.

Queiró disse tambem que o Orçamento do Estado de 2011 tinha inscrita uma verba de 103 milhões de euros para a Ação Social, que acabou por não existir. Pode ouvir aqui.

Um acordo de concertação de fazer "inveja"

O Presidente da República chegou a Helsínquia com muita neve e 17 graus negativos de temperatura, mas com vontade de explicar aos 8 chefes de estado do Grupo de Arraiolos os progressos alcançados por Portugal nos últimos meses.

A reunião do ano passado realizou-se numa altura em que o país começava a receber o auxílio financeiro da Troika, agora Cavaco Silva tem resultados positivos para mostrar aos seus homólogos.
O PR mostra-se especialmente empenhado em explicar o acordo de concertação social alcançado, dizendo que é uma acordo de que "alguns terão inveja".
Ouvir reportagem

PS dá tolerância de ponto no Carnaval

Miguel Laranjeiro, secretário nacional para a organização do PS, já assinou a tolerância de ponto na terça-feira de Carnaval para os funcionários do partido.

"E se uma senhora tem uma oferta de um cidadão ou vice-versa e...

... não quer divulgar a origem daqueles 50 mil euros. Fica calado. É condenado." O exemplo foi dado pelo deputado Ricardo Rodrigues numa conferência de imprensa, esta manhã na AR, com Alberto Martins e Carlos Zorrinho.

O PS arrasou o diploma da maioria que criminaliza o enriquecimento ilícito dizendo que espera que Cavaco Silva  o envie para o Tribunal Constitucional. "Não nos passa pela cabeça que o sr. Presidente da Republica não envie este diploma para o TC", afirmou o líder parlamentar  socialista.  Peça

"Nada nos obriga a ser submissos" dizem as Forças Armadas

Ao ministro da Defesa, José Pedro Aguiar Branco, em carta aberta, tratada aqui por Rosa Azevedo.
Manuel Carcel, presidente da Associação de Oficiais das Forças Armadas.
O jornalista Ilídio Trindade ouviu a reacção do Ministro da Defesa, José Pedro Aguiar Branco. Aqui.

Cavaco em inglês de partida para Helsínquia

O Presidente da República explica a estudantes finlandeses Erasmus em Portugal o que vai fazer a Helsínkia nestes dias. A enviada especial da Antena1, Célia de Sousa, ouviu e conta.

Cavaco Silva promove mais uma reunião do Grupo de Arraiolos, uma ideia de Jorge Sampaio de 2003, que junta antigos presidentes da República para discutir a Europa.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Da CPLP ao berço da civilização

Num colóquio sobre a CPLP, esta manhã no Hotel Ritz, Mário Soares não deixou de olhar para a situação grega. Criticando aqueles que dizem "nós não somos a Grécia", o ex-PR pediu solidariedade com o país berço da democracia :"A Alemanhã aparece no séc. XVIII, séc. XIX e teve a infelicidade de ser a responsável por duas grandes guerras mundiais", acrescentou. Peça
Mário Soares e Fernando Nobre conversam no intervalo do colóquio
Apesar de abordado pelos jornalistas, Soares não quis falar. Sampaio recusou tambem prestar declarações à margem da CPLP (falará 6ª feira na RTP) mas acabou por insistir na sua mensagem contra o pessimismo. Aqui.


Carnaval: 'desobediência regional e municipal'

Na Madeira vai haver Carnaval e tolerância na 3ªfeira gorda e 4ªfeira de manhã.
Miguel Albuquerque, presidente da CMFunchal, justifica.

António Costa, PS, presidente da CML, questionado por Lídia Cristo na conferência de imprensa desta manhã, já despachou o assunto: vai haver tolerância de ponto em Lisboa. Também o seu colega Rui Rio, presidente da CMPorto, já assinou o despacho de tolerância de ponto.

Também em Vila Real, onde Passos Coelho foi presidente da Assembleia Municipal, vai haver tolerância. Reportagem da correspondente da A1 Eduarda Freitas.

Em Loulé, também se vai cumprir a tradição, "até durante a Segunda Guerra Mundial houve Carnaval em Loulé", diz o autarca Seruca Emídio na Reportagem de Ana Laura.

No parlamento, Luís Montenegro, lider da bancada do PSD, rejeita que a decisão de trabalhar no Carnaval na AR tenha de ser unânime.

A UGT gostaria que o Governo "emendasse a mão", como diz Luís Correia, secretário-geral da central ouvido por Augusta Henriques.
Passos já ontem insistia na ideia de não haver tolerância de ponto na tomada de posse dos membros do Conselho Nacional para a Ciência e Tecnologia, em Lisboa, onde esteve também o ministro da Educação Nuno Crato, contado por Natália Carvalho. Só os alunos ficam sem aulas e o PM ainda não fez as contas dos ganhos.

Ser ou não ser piegas

Nos 40 anos da Pedago, onde foi professor de economia e perante uma plateia de alunos, Pedro Passos Coelho defendeu a exigência e o trabalho em vez da pieguice.
O Primeiro Ministro começou por dar o exemplo das privatizações da EDP e REN. Explicou que ao contrário do que dizem os analistas o sucesso não se deveu à sorte mas ao trabalho. Ouça aqui

Depois do "custe o que custar", o "trincar a língua"

Foi ontem, ao fim da tarde, em Odivelas numa escola onde deu aulas, que o PM Pedro Passos Coelho justificou o caminho que o Governo tem seguido e que Portugal terá de "trincar a língua" para sair da situação em que está.

Reportagem de Madalena Salema.

"Não vai acontecer em Portugal o que está a acontecer na Grécia", diz o PM

Passos Coelho recusa comparar a situação de Portugal à Grécia. Prefere fazer comparações com a Irlanda.

O PM garante que Portugal não vai seguir o caminho da Grécia.
Pedro Passos Coelho voltou a dizer que o memorando de entendimento vai ser cumprido, apesar de ser difícil e que Portugal tem muito mais que ver com a Irlanda do que com a Grécia.


Passos Coelho insiste que o programa de austeridade imposto a Portugal é "fazivel" e não está em causa "independentemente do que se vier a passar na Grécia", com o Primeiro-Ministro a enfatizar que "não deixará acontecer em Portugal o que está a acontecer na Grécia". 

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

"Não assinei, não concordo com tudo, mas honrarei os compromissos"

António José Seguro aproveitou a reunião da Comissão Nacional do PS, em Évora, para clarificar a sua posição sobre o memorando assinado com a Troika.

O lider do PS disse aos dirigentes socialistas, durante a reunião à porta fechada, que não negociou, não assinou e não concorda com todos os pontos do documento assinado por José Sócrates. Ainda assim garante que honrará o compromisso assumido.

À saída da reunião, Seguro repetiu estas declarações aos jornalistas.
Ouvir reportagem

Em dia de tudo ou nada para a Grécia


PR E PM NA SESSÃO SOLENE DE INAUGURAÇÃO DA NOVA SEDE DA CPLP, no Palácio Conde de Penafiel, em Lisboa
10H00 - Intervenção do Secretário Executivo da CPLP, Domingos Simões Pereira,
- Intervenção do Vice-Presidente da República de Angola, Fernando da Piedade dos Santos
- Intervenção do Presidente da República, Cavaco Silva

 

PS dedica o dia à defesa do programa Novas Oportunidades
Os deputados do Partido Socialista visitam vários centros Novas Oportunidades e promovem reuniões com alunos e formadores, numa iniciativa nacional que tem como objetivo confirmar “a importância do projecto que é responsável pela qualificação e aumento dos níveis médios de escolaridade de jovens e adultos e que o Governo está a encerrar.
O balanço desta iniciativa que vai decorrer em todo o país será feito pelo líder parlamentar, Carlos Zorrinho, em Évora
12H00 – Conferência de Imprensa de Carlos Zorrinho Centro de Novas Oportunidades da Fundação Alentejo

14H00 - O Grupo Parlamentar do PSD realiza, uma Conferência sobre a Reforma do Arrendamento Urbano no auditório do Edifício Novo da Assembleia da República.

15H00 - A Comissão Política do Comité Central do PCP realiza, uma conferência de imprensa sobre a situação política e social do país, com Paulo Raimundo membro da Comissão Política do Comité Central do PCP.

15H30 - Cerimónia de tomada de posse do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia.
### A cerimónia será presidida pelo Primeiro-Ministro, Pedro Passos Coelho. Participam também o Ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, a Secretária de Estado da Ciência, Leonor Parreira e o Secretário de Estado do Ensino Superior, João Queiró.
O Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia, presidido pelo Primeiro-Ministro tem por missão aconselhar o Governo em matérias transversais de ciência e tecnologia, numa perspectiva de definição de políticas e estratégias nacionais. É integrado exclusivamente por personalidades internacionalmente prestigiadas nas áreas da ciência e tecnologia, incluindo investigadores dos setores público e privado e empreendedores. Funciona de forma articulada com o Conselho Nacional de Empreendedorismo e Inovação nas matérias relevantes.
17H30 – O Presidente da República recebe um grupo de estudantes finlandeses que se encontram em Portugal no âmbito do Programa ERASMUS
18H00 – O Primeiro-Ministro participa nas Comemorações do 40. Aniversário da PEDAGO; No Campus Educativo da Serra da Amoreira - Ramada - Odivelas.


18H30 – João Salgueiro escolheu o livro “Estaremos todos falidos dentro de 10 anos?” de Jacques Attali, na Conferência promovidas por Ribeiro e Castro, “ Política e Pensamento: a voz dos Livros”. Livraria Ferín, Rua Nova do Almada






19H30 – O PSD/Lisboa promove um colóquio distrital com a participação de Paulo Macedo, Ministro da Saúde

Banco de Portugal: divulgação de estatísticas
###- Estatística mensal de Instituições Financeiras Monetárias (Dezembro de 2011)
###- Estatística trimestral da Central de Responsabilidades de Crédito (quarto trimestre 2011)


Lá Fora:
A Grécia Mais próxim
EM BRUXELAS , o Eurogrupo tem previsto uma reunião para fechar o acordo com a Grécia mas as negociações, na últimas foras, falharam.
O presidente do Eurogrupo, Jean Claude Juncker, já fala abertamente da possibilidade de o pais "abrir falência" em Março. Sem um acordo agora, a Grécia será impotente diante do vencimento de 14,5 mil milhões de euros em títulos em meados de Março, tendo no horizonte o incumprimento e até uma eventual saída do euro.
A oposição grega tem até às 10H00 para decidir se aceita a austeridade exigida pela Troika.

Em Atenas: O Ministério da Educação passa a distribuir senhas gratuitas para leite, barras de cereais e frutas em 18 escolas de nove bairros desfavorecidos. O ministério da Educação grego anunciou que vai melhorar a qualidade das refeições escolares em cerca de 20 escolas de Atenas onde as famílias foram mais atingidas pela crise e medidas de austeridade.

FRANÇA- O presidente francês, Nicolas Sarkozy, e a chanceler alemã, Angela Merkel, presidem no Eliseu ao 14º conselho dos ministros franco-alemão, dedicado sobretudo à crise financeira da zona euro.
A Cimeira começa às 10:30, hora de em Lisboa, com uma reunião de Sarkozy e Merkel, na presença do primeiro-ministro francês, François Fillon, enquanto os ministros dos dois países se reúnem entre eles. Foi anunciada a presença de nove ministros franceses e oito alemães.

No final do conselho de ministros, Sarkozy e Merkel dão uma entrevista conjunta às cadeias televisivas francesa France 2 e alemã ZDF.

60.º aniversário do início do reinado de Isabel II de Inglaterra